No ano de 1717 iniciou-se uma devoção peculiar no coração do Brasil imperial, uma imagem negra da Virgem da Conceição resgatada do fundo de um rio tornou-se um sinal de esperança para inúmeros filhos.

Os anos passaram e a devoção que era adornada pela simplicidade dos pescadores tornou-se a devoção de uma nação inteira que até a data de hoje recorrem ao seu Santuário e diante do trono entrega a sua vida no colo da Mãe.

E no interior do Paraná não era diferente, entre as procissões de maio e as rezas do terço em honra a Virgem Maria a cidade foi crescendo, não se esquecendo do padroeiro Santo Antônio de Pádua que do alto da Matriz olha por toda a cidade. Ah Santo Antônio da Platina a joia do norte velho do Paraná, que visitante ilustre acolheu uma joia do jardim de Deus, um sinal de seu amor para com os filhos.Resultado de imagem para padre vitor de aparecida do norte

Era o ano de 1981, havia acabado de celebrar a festa da Assunção de Nossa senhora, quando de longe os sinos repicaram anunciando tais festejos, a chuva caía como memória do encontro nas águas do Paraíba do Sul. Com a imagem em mãos estava à frente o Pe. Vitor Coelho de Almeida, um grande Missionário redentorista e divulgador da Senhora Aparecida, o povo veio de longe, das redondezas para por alguns segundos ver tal ilustre presença, muitos conheciam o Pe. Vitor pelas ondas da Radio Aparecida quando rezava a oração da Consagração às três horas da tarde, momento sagrado de inúmeros lares brasileiros, todos paravam seus afazeres para bendizer e louvar a Virgem morena de Aparecida. Aquele dia de chuva não afastou o povo que adentrou a matriz aos sons dos sinos para a Santa Missa, crianças vestidas de anjinhos ornamentavam ainda mais este momento de graça.

Entre as inúmeras memórias de um povo, este momento ainda ressoa as palavras deste santo servo: “Aqui está a Virgem de Aparecida, a mesma que se encontra no Santuário, aqui ela intercede por cada filho, aqueles que desejam pagar suas promessas, podem recorrer a este local, aqui também é um santuário da mãe de Deus”. E assim, aquela pequena Virgem é levada para o local preparado para ser sua morada, padre Vitor dá lhe um beijo e a entroniza permanentemente no coração da Paróquia Santo Antônio de Pádua que com calorosas salva de palmas a recebe com alegria.

A imagem foi doação da Congregação Mariana que na época era presidente o Sr Custodio e sua esposa Maria Luíza e que eternamente estará marcado na história da paróquia. Pouca palavra nos resta para descrever nossos agradecimentos e louvores a Congregação Mariana de nossa paróquia que mantém firme a Devoção Mariana zelando pelas procissões que são parte de nossa vivencia cristã, assim retornando as palavras do Santo Padre o Papa São João Paulo II quando visitou Aparecida em 1980: “A devoção a Maria é fonte de vida cristã profunda, é fonte de compromisso com Deus e com os irmãos. Permanecei na escola de Maria, escuta) a sua voz, segui os seus exemplos. Como ouvimos no Evangelho, ela nos orienta para Jesus: “Fazei o que ele vos disser” (Jo 2,5). E, como outrora em Caná da Galileia, encaminha ao Filho as dificuldades dos homens, obtendo d’Ele as graças desejadas”

Viva a Mãe de Deus e nossa, a Senhora Aparecida

 

PASCOM – Paroquiasap
ARTIGO – Alex Gonzaga